Nosso ambiente

Transition Towns

Soluções comunitárias para os desafios ambientais globais

Garopaba é uma cidade localizada no litoral de Santa Catarina, cercada pela Mata Atlântica, com praias paradisíacas onde se pode observar as baleias. Um perfeito paraíso ecológico!

Se só isso não bastasse, Garopaba também foi a primeira comunidade do país a participar de um movimento onde as cidades buscam, através da união e da inovação, criar soluções criativas para os problemas ambientais globais. Ou seja, ela foi a primeira cidade brasileira a se tornar uma “Transition Town”.

 As iniciativas das Transition Towns ou Cidades em Transição são parte de um movimento que reúne pessoas para discutir – como comunidades –  maneiras de responder aos desafios ambientais, econômicos e sociais que estão surgindo com as mudanças climáticas, além de aprender a lidar com uma economia baseada em crescimento, enquanto ocorre uma redução dos recursos naturais. Essas comunidades procuram nelas mesmas inovar e criar soluções positivas de redução das emissões de carbono e  da dependência do petróleo.

O conceito de transição emergiu do trabalho  que o designer em permacultura Rob Hopkins realizou com os estudantes da Kinsale Further Education College, quando escreveram “Energy Descent Action Plan” ou seja, Plano de ação para o declínio de energia. Esse plano de ação foi adotado em 2005 na cidade de Kinsale, Irlanda, numa atitude histórica.  Atualmente existem mais de 100 Cidades em Transição pelo mundo.

A dependência do Petróleo

Atingir o objetivo de reduzir a dependência do petróleo é um grande desafio. Quase tudo no mundo é feito com petróleo. Os plásticos, fertilizantes, pesticidas, fibras sintéticas, produtos de beleza e por aí vai. Até para produzir comida consome-se petróleo em grande escala, durante os processos industriais e de distribuição. Dá para imaginar como nossas vidas seriam drasticamente alteradas se houvesse uma queda na produção desse item? E essa queda provavelmente irá acontecer, pois o número de reservatórios de petróleo no mundo é limitado e além disso, vários lugares onde eles existem, sua extração é economicamente inviável.

 O “pico do petroléo” é a termo expressão utilizada para o momento em que acabarem todas as reservas onde a extração é viável. Pode ser que esse momento ainda esteja longe, mas chegará o dia em ele não será mais tão abundante e fácil de ser conseguido. Segundo o site neozelandês: www.transitiontowns.org.nz, “quando o pico do petróleo global ocorrer, nós iremos sofrer rapidamente com o aumento dos preços dos seus derivados, queda no fornecimento e – provavelmente – conflitos para ver quem vai ficar com o óleo produzido. Essa situação fica ainda mais complicada por causa do aumento vertiginoso na demanda por óleo a medida que mais nações pelo planeta ‘se desenvolvem’ em estilos de vida com alto consumo de óleo e se juntam na luta pelo abastecimento que sobrou”. Eles ainda afirmam que a crise financeira mundial atual “é uma evidência que a  produção de petróleo está chegando ao seu limite, ou já o ultrapassou”. 

 Em entrevista ao Diário do Nordeste o Prof. Dr. Blake Poland, docente na Dalla Lana Escola de Saúde Pública e Co-Diretor da Rede de Pesquisa em Justiça para Saúde Ambiental Urbana na Universidade de Toronto (Canadá), também prevê uma crise no futuro, afirmando que “novas descobertas e as tentativas de exploração de fontes não-convencionais de óleo, não são capazes de atenuar essas quedas projetadas. A medida que a nossa demanda supera a oferta, vislumbra-se o aumento significativo nos preços de combustíveis fósseis, e, consequentemente, a escassez, o racionamento, a escalada de disputas e guerras por óleo, além de conflitos sociais interrelacionados”.

 A resiliencia

Para se tornarem independentes de crises externas é que as populações das Transitions Towns sentiram a necessidade de reconstruir o modelo de sociedade. Essa reconstrução ganha forma através do fortalecimento do espírito de comunidade e pela vontade de dividir um planeta realmente sustentável.

 As ações para que aconteçam a transição dependem da realidade local. Por isso, cada comunidade deve estudar as necessidades e desafios da sua região, a fim de  definir o planejamento valorizando a sabedoria dos mais velhos, que cresceram numa realidade menos depedente do petróleo. Rob Hopkins, em entrevista à revista Planeta Sustentável afirma que “a primeira coisa a fazer é colocar o valor de volta na produção de alimentos e nos conhecimentos tradicionais”. Essa medida fortalece as comunidades  e diminue o impacto causado pelo transporte de produtos. Em Totnes, por exemplo, foi criada o Totnes Pound, moeda local,  aceita em 65 estabelecimentos, apoiando a produção e o comércio da cidade.

Em Garopaba, a iniciativa aconteceu por parte dos próprios cidadãos que buscaram parcerias  com a prefeitura, Universidades e ONGs, como a ambiental Fundação Gaia. Uma das iniciativas da prefeitura foi a criação de um grande sistema de compostagem para onde são levados os restos de alimentos de restaurantes. O composto produzido é encaminhado para fazendas que produzem alimentos orgânicos e escolas que possuem hortas.

Mudar o estilo de vida de comunidades inteiras parece um desafio quase que impossível, mas a visão realista e as ações das Transition Towns mostram que se pode ter uma imagem mais otimista do futuro. O segredo está na união, nas boas idéias e em muito trabalho!

Aqui estão 12 passos para embarcar na jornada da transição:

1. Estabelecer um grupo para a direção e preparar sua dissolução desde o início

2. Aumento da sensibilização

3. Estabelecimento das fundações

4. Organização de um Grande Lançamento

5. Formar grupos de trabalho

6. Usar Open Space – Espaço Aberto

7. Desenvolver manifestações práticas visíveis do projeto

8. Facilitar a Grande Recapacitação

9. Criar uma ponte com o governo local

10. Respeitar os idosos

11. Deixar rolar quando for para deixar rolar…

 12. Criar um Plano para o Declínio de Energia

Fonte:  Manual das Iniciativas de Transição traduzido para o português

Para saber mais visite esses sitios:

www.transitionculture.org

www.transitiontowns.org.nz/

 Existem muito vídeos sobre Transition Towns no You Tube, mas não encontrei nenhum em português! Aqui vão alguns:

Rob Hopkins explicando o conceito de Transitions Towns e falando sobre as ações em Totnes, primeira cidade a adotar as idéias

Documentário feito pela comunidade de Hawke’s Bay da Nova Zelândia: Parte 1 – Parte 2 – Parte 3

Documentário produzido pela organização “The community solution” o exemplo de Cuba – The Power of Community: How Cuba survived peak oil 

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s